Arquivo da categoria: Ética

Profeta: ontem e hoje

Profeta Jeremias 1Está escrito no Livro do Profeta Jeremias:

1.4 A palavra do SENHOR veio a mim, dizendo: 5 “Antes de formá-lo no ventre materno, eu já o conhecia; e, antes de você nascer, eu o consagrei e constituí profeta às nações.”  6 Então eu disse: — Ah! SENHOR Deus! Eis que não sei falar, porque não passo de uma criança. 7 Mas o SENHOR me disse: “Não diga: ‘Não passo de uma criança.’ Porque a todos a quem eu o enviar, você irá; e tudo o que eu lhe ordenar, você falará. 8 Não tenha medo de ninguém, porque eu estou com você para livrá-lo”, diz o SENHOR.9 Depois, o SENHOR estendeu a mão e tocou na minha boca. E o SENHOR me disse: “Eis que ponho as minhas palavras na sua boca. 10 Veja! Hoje eu o constituo sobre as nações e sobre os reinos, para arrancar e derrubar, para destruir e arruinar, e também para edificar e plantar.” (Jer 1.4-10).

O texto narra o momento do chamado (vocação) de Jeremias, para ser profeta do Deus Altíssimo. A bela narrativa informa que Jeremias já estava escolhido antes de nascer.  E, apesar da resistência de Jeremias em atender ao chamado, Deus insiste em tom imperativo: “você irá”, “você falará”! Ao mesmo tempo, diz para o profeta não ter medo, pois Deus se compromete a estar com Jeremias para livra-lo em qualquer situação de risco.

Mas afinal, o que é ser profeta? que vocação é esta que envolve uma ação direta de Deus na vida de uma pessoa? Continue lendo Profeta: ontem e hoje

Deus não escolhe pelo mérito.

Já no Antigo Testamento vemos sinais disso, que Deus não atua em função do mérito, mas em função de sua inigualável bondade: Deus não escolheu pessoas especiais, mas escolheu pessoas comuns e muitas vezes consideradas más pessoas.
Escolheu Jacó que enganou seu pai Isaac e roubou a primogenitura de seu irmão Esaú; escolheu Salomão, filho de um adultério e um assassinato; escolheu Oséias, um homem amargurado pela esposa adúltera porém muito amada; marcou Caim, fratricida, com um sinal para que ninguém o perseguisse; escolheu Davi, um pirralho por quem ninguém dava nada; escolheu Moisés, homem gago e foragido, como seu porta-voz diante do Faraó; e muitos outros casos podemos ver examinando o texto sagrado.
Essas escolhas imerecidas de Deus continuam no Novo Testamento: chamou Maria, jovem prometida em casamento a um homem idoso, que vivia em um vilarejo longe de tudo e na Galiléia, local considerado de segunda categoria pelos judeus; revelou-se aos magos do oriente, gentios e pagãos, que cultuavam deuses siderais, e revelou-se aos pastores, homens rudes e ignorantes; mas não se revelou ao rei Herodes, ou ao governador romano, e tampouco aos religiosos daquele tempo; entre os antepassados de Jesus havia uma prostituta; Jesus escolheu como discípulos, um pecador público (Mateus), pescadores simples e iletrados como Pedro, Tiago e João, um guerrilheiro zelote (Simão); confiou a Saulo de Tarso, que participou do assassinato de Estevão e matava cristãos, a tarefa de ser Seu anunciador aos povos fora da Palestina…

Continue lendo Deus não escolhe pelo mérito.

Realidade Virtual e Vida Real

Solidariedade moderna 2Um exemplo de “realidade virtual”: quando brincamos com videogames, vislumbramos na tela uma paisagem, muitas vezes bonita e agradável de se olhar; figuras humanas ou seres mitológicos comportam-se como se estivessem vivos.

Há programas de computador que permitem passear pelas ruas de Salvador, Paris ou Nova York, sentados em nossas poltronas, com detalhes impressionantes. Existem “óculos eletrônicos” que dão a sensação de estarmos realmente andando nas ruas das cidades, interagindo com os personagens de jogos. Existem sensores eletrônicos que, espalhados pelo corpo, permitem que tenhamos sensações de toque, frio, calor, interagindo com um personagem que pode ser “uma pessoa real” ou um ser fantástico, criado pelo programa que estamos usando. Continue lendo Realidade Virtual e Vida Real