Arquivo da categoria: Liturgia

Quaresma: a caminho da Ressurreição!

Joel 2Desde criança aprendemos que a Quaresma é um tempo de penitência, jejuns, abstinências… ainda hoje se ensina assim. No comportamento religioso, é assim mesmo!

Mas não deve ser assim para quem vive a experiência da Fé em Jesus Cristo. Afinal, nós cremos que, em Jesus Cristo, os nossos pecados são perdoados, e não estamos mais sob o império da Lei:

“[…] o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Jesus Cristo, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois por obras da lei ninguém será justificado.”  (Gálatas 2.16) Continue lendo Quaresma: a caminho da Ressurreição!

O Tempo depois de Pentecostes

discipuloIniciamos o longo tempo litúrgico conhecido como o Tempo depois de Pentecostes, que – no lecionário moderno é considerado parte do Tempo Comum (junto com o Tempo da Epifania). Nesta Paróquia preferimos manter o nome “Tempo depois de Pentecostes“, seguindo a tradição de nossa Igreja.

Na semana passada celebramos a SS. Trindade, o primeiro domingo depois da Festa de Pentecostes.  O Tempo depois de Pentecostes começa, portanto com o Domingo da SS. Trindade e termina com a Festa de Cristo Rei, o domingo anterior ao Advento, marcando assim o final do ano litúrgico. Nesta paróquia optamos por manter os Tempos litúrgicos conforme a Tradição. A cor litúrgica do Tempo depois de Pentecostes é o verde.

Durante este Tempo, aos domingos lemos perícopes do Evangelho que narram eventos do ministério de Jesus; nossa norma litúrgica prevê um ciclo de três anos, sendo que a cada ano do ciclo lemos – majoritariamente – os textos de um dos Evangelhos Sinóticos (Mateus, Marcos ou Lucas). Este ano, chamado Ano B do ciclo, estaremos acompanhando as narrativas segundo São Marcos.

O Evangelho de Marcos é considerado o mais antigo dos quatro Evangelhos, sendo que – de acordo com os especialistas – sua composição se inicia no tempo do ministério do Apóstolo Paulo, cerca de 25 anos depois da Ressurreição do Senhor. Ainda segundo os especialistas, Mateus e Lucas utilizaram muito do material de Marcos, além de outras fontes próprias de cada um deles.

O Evangelho de Marcos surge na região da Palestina e da Síria, entre as comunidades cristãs de origem judaica e alguns poucos gentios (não judeus). São estas as primeiras comunidades cristãs que surgem após o evento de Pentecostes. O Evangelho de Marcos é permeado com as experiências, a forma de compreender e a cultura dessas comunidades, seus anseios, temores e esperanças.

Assim neste tempo estaremos acompanhando o caminhar do Senhor Jesus Cristo na Galileia e outras partes do território, tentando compreender e conhecer, pela ação do Espírito Santo e à luz do testemunho daquelas comunidades da Igreja Primitiva, a Vontade de Deus para a Igreja Contemporânea.

O Senhor está conosco!

Rev. Luiz Caetano ost+

O Tempo Pascal

Jesus Ressucitado com MadalenaNestas semanas que determinam o Tempo Pascal – os domingos depois da Páscoa até a Véspera de Pentecostes –  o lecionário litúrgico apresenta perícopes (partes) do Evangelho onde se narram os diversos encontros com o Ressuscitado.

Nós, de São Lucas, estaremos meditando e estudando esses encontros e buscando – cada um de nós – novos encontros com o Cristo Vivo e renovando nosso compromisso com a Missão. Nossa saudação liturgia, neste Tempo, é:

O Senhor Ressuscitou! Aleluia!

Verdadeiramente o Senhor Ressuscitou!

Aleluia! Aleluia! Aleluia!

A Ressurreição de Jesus é um dos eixos da pregação (kerigma)cristã assim como Sua Encarnação, Paixão e Morte. Este é o núcleo da pregação da Igreja dos Apóstolos e Apóstolas, homens e mulheres que foram testemunhas do Cristo Ressuscitado, que O viram e conviveram com Ele após a ressurreição. Este é o núcleo da pregação e da motivação para a ação da Igreja desde sempre! Continue lendo O Tempo Pascal