A Epifania do Senhor

Jesus contigoEpifania vem da palavra epiphanīa (do latim tardio), que, por sua vez, veio do grego èpifáneia (ἐπιϕάνεια), de èpifanés (ἐπιϕανής), “visível”, derivado de verbo èpifanainomai (ἐπιϕαίνομαι), “aparecer”. A palavra Epifania tem, portanto, o significado semelhante a revelação, porém com mais ênfase na percepção de algo que, de repente, se manifesta!

O significado cristão de Epifania

A Igreja denomina Epifania do Senhor à manifestação do Cristo (o Messias, o Ungido)  à toda humanidade, contrariando as expectativas antigas de que seria algo exclusivo para os hebreus.

A narrativa do Evangelho segundo Mateus é o resultado dessa percepção – o Cristo que se manifesta como Luz e como Estrela Brilhante, aos não-judeus, mas aos gentios, aos pagãos (Mt 2.1-12).

As personagens da narrativa, os Magos do Oriente, são uma forma radical de apresentar isso: os magos, que não eram reis, vindos do oriente (a Pérsia), viram o Sinal do nascimento do Cristo nos céus, uma estrela. Observadores do céu e da natureza, puderam compreender, na dinâmica da Criação, um momento especial, o sinal do novo.

A Igreja da Idade Média, fortemente influenciada pelo poder feudal, transformou os magos em três reis, contrariando totalmente o que diz o Evangelho: não fala em reis, são magos e não diz quantos eram. Com isso, a Igreja se aliava à nobreza e ao poder, ela mesmo crescendo em poder absoluto, se colocando como portadora do conhecimento absoluto sobre Deus. Por isso, ainda hoje, a celebração da Epifania é esquecida em sua fundamentação, ficando apenas a imagem dos reis adorando o Rei dos Reis; na verdade, o único rei que aparece na narrativa, Herodes, hipocritamente se dispôs a visitar esse Rei dos Judeus anunciado pelos magos; na verdade, queria mata-lo!

O nascimento desse Rei colocava em risco todo o sistema de poder estabelecido pelos Romanos e do qual ele, Herodes, era beneficiário.

A Epifania de Cristo na nossa Vida.

Celebrar a Epifania do Senhor logo após a festa da Natividade quer completar um ciclo de reflexões sobre o significado de Jesus Cristo para a humanidade hoje. Nas Igrejas do Oriente (Ortodoxos), o Natal e a Epifania são uma única festa, celebrada dia 6 de janeiro.

A manifestação de Cristo coloca em cheque todos os nossos esquemas egoístas de poder e de manipulação da vida alheia. Cristo coloca em cheque os desejos mais secretos de nossos corações e mentes, onde o Mal encontra solo fértil para desenvolver suas artimanhas e gerar o pecado, que, por sua vez produz a morte.

Durante o Advento, nós refletimos sobre a vinda de Cristo, seu significado e seu chamado para uma nova realidade, o Reino de Deus.

No Natal, como na Festa da Anunciação (25 de março), celebramos exatamente a Encarnação de Deus, na emergência do Reino na pessoa de Jesus, o Cristo, a Palavra Encarnada, o Deus que se reduz a ser humano para reerguer o ser humano derrubado pelo pecado e pela morte.

Na Epifania testemunhamos que essa Presença Encarnada na História humana é realmente para toda a humanidade, não para os seguidores de determinada religião. O Cristo se manifesta a todos, para que tenham vida e vida abundante (João 10.10b).

Ele veio para que você tenha vida em abundância! Permita que Ele se manifeste em tua mente e teu coração: abra os olhos e veja aos sinais que ele coloca no caminho de sua vida e perceba o quanto ele tem acompanhado você. Só você pode perceber isso, pela ação do Espírito Santo.

Pense nisso

Há uma estrela brilhando no céu de sua vida. Permita que o Espírito Santo, que não discrimina ninguém e sopra onde e como quer, mostre tal estrela para você, tal como fez com os Magos do Oriente, que não eram judeus, não esperavam nenhum Salvador, mas perceberam a intervenção de Deus na História e seguiram a nova estrela.

Deus conceda a você e nós todos e todas, um momento especial que possamos reconhecer como a Epifania do Senhor nas nossas vidas!

Rev. Luiz Caetano, ost+

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.