Milagres Acontecem!

Várias vezes acontece de pessoas me pararem na rua e perguntarem: “Padre, sua Igreja faz milagres?”  ou então: “Estou interessado na sua Igreja; o que ela tem para oferecer?”

Mas não é simples responder a isso, porque essas perguntas escondem alguns equívocos, e até mesmo uma disfarçada idolatria consumista, além de uma mente desesperada, uma alma aflita.

Eu costumo manter o diálogo assim:

“Padre, sua Igreja faz milagres?”  Respondo: “Olhe, a Igreja não é minha, mas é de Cristo; e ela não faz milagres, Deus é quem os faz, em qualquer lugar e até lá… mas nós não fazemos disso uma propaganda para atrair pessoas, porque o milagre não é um mérito da Igreja, mas uma graça que Deus concede às pessoas que têm fé. Quando isso acontece, nós louvamos a Deus, mas não ficamos divulgando por ai, porque Deus não precisa de publicidade, nem milagres são possíveis de serem comprados. Você quer que eu ore com você?”

“O que a sua Igreja tem para oferecer?”  Respondo: “Olhe, a Igreja não é minha, mas é de Cristo. Ela tem para oferecer algo muito pequeno, nada de espetacular que esteja disponível em um Shopping. O que ela oferece cabe na palma da mão, Jesus disse que é do tamanho de uma sementinha mas não se compra isso, nem se ganha com dinheiro, bajulação e arrogância; é de graça, mas requer muita humildade. E tem uma coisa importante que você precisa saber:  participar exige compromisso e comprometimento. Você está mesmo interessado? Se estiver, será bem vindo!”

Participar de uma comunidade de fé por causa da qualidade do pastor, por causa da beleza do templo, por causa da programação que tem até teatrinho para as crianças, por causa da banda mirabolante que faz show “animando” o culto, e até mesmo para dar uma bajulada em Deus com uma oraçãozinha e uma oferta em dinheiro e assim tentar “ganhar” aquele carrão zero quilômetro, tudo isso e assemelhados, é viver o simulacro da Fé, é pecado de idolatria (idolatria do pastor, do templo, da programação, da banda, do dinheiro).  Jesus deu um tremendo esculacho nas pessoas que o seguiam dessa forma! Veja o que diz o Evangelho de João [isso aconteceu após a multiplicação dos pães]:

Quando a multidão percebeu que nem Jesus nem os discípulos estavam ali, entrou nos barcos e foi para Cafarnaum em busca de Jesus. Quando o encontraram do outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Mestre, quando chegaste aqui?“  Jesus respondeu: “A verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais […], mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos. (João 6. 24-26)

Milagres acontecem! e todos os dias! As verdadeiras maravilhas de Deus não precisam de mídia, Deus não vende nada! Os santos e santas de Deus estão em todos os lugares, não fazem milagres, mas intercedem e proclamam a glória do Senhor.

Participa-se da Igreja como resposta ao amor de Deus. Não falo da “Igreja Instituição”, porque a Igreja de Cristo está além da Instituição. A Instituição é necessária para que as pessoas possam cooperar umas com as outras e organizar sua vivência da fé em comunidade, mas não é um fim em si mesma (se for, é idólatra!).

Cristãos verdadeiros vivem em permanente gratidão pelos milagres que Deus realiza em suas vidas, que não se reduzem a posses, saúde, poder, mas também em paz interior, felicidade e espírito de gratuidade e partilha. Cristãos verdadeiros tomam suas cruzes e seguem Jesus na direção do Calvário e do Túmulo Vazio.

Com certeza, muitas pessoas chegam à igreja em busca de solução de problemas, saúde, um bem material necessário…  Cabe à comunidade de fé acolhe-las, ajudá-las em um primeiro momento, mostrar misericórdia e compaixão e, aos poucos, através da solidariedade e do amor, revelar como Deus age, como Deus pode mudar a vida da pessoa, e como ela pode se tornar uma seguidora de Cristo, descobrindo sua vocação (chamado/dom) e servindo com Ele na comunidade e no mundo.

Rev. Luiz Caetano, ost

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.