NICODEMOS, O FARISEU

Nicodemos 1Lemos no Capítulo 3 do Evangelho de São João, a narrativa do encontro de um homem chamado Nicodemos com Jesus:

3.1 Havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. 2 Este, de noite, foi até Jesus e lhe disse: — “Rabi, sabemos que o senhor é Mestre vindo da parte de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que o senhor faz, se Deus não estiver com ele”.

Na postagem anterior, falamos do encontro de Zaqueu, o publicano, com Jesus. Hoje falaremos do encontro de outro homem, oposto a Zaqueu, um fariseu. Ao contrário de Zaqueu, Nicodemos era respeitado pelo povo e uma pessoa de alta posição na sociedade judaica. Por ser “um dos principais dos judeus” , isto é, membro do Sinédrio, o Grande Conselho Judaico, ele era respeitado até pelos Romanos que anexaram a Judeia ao seu Império.

O encontro de Jesus com Nicodemos é muito interessante; Jesus mostra seu lado irônico, e ao mesmo tempo, de bom educador. Ele procura Jesus no meio da noite, e se apresenta reconhecendo em Jesus um mestre, ou seja, um igual em conhecimento e boas obras, O reconhece sendo alguém enviado por Deus. (João 3.2)

Nicodemos era fariseu, isto é, membro de um partido religioso que propugnava pela pureza e obediência radical à Lei; portanto era um sujeito piedoso e fiel à sua forma de compreender a fé. O diálogo com Jesus mostra que ele estava realmente interessado em conhecer o pensamento de Jesus, e Jesus não tem papas na língua, fala direto.

3 Jesus respondeu: — Em verdade, em verdade lhe digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus. 4 Nicodemos perguntou: — Como pode um homem nascer, sendo velho? Será que pode voltar ao ventre materno e nascer uma segunda vez? 5 Jesus respondeu: — Em verdade, em verdade lhe digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. 6 O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. 7 Não fique admirado por eu dizer: “Vocês precisam nascer de novo.” 8 O vento sopra onde quer, você ouve o barulho que ele faz, mas não sabe de onde ele vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito. 9 Então Nicodemos perguntou: — Como pode ser isso? Jesus respondeu: 10 — Você é mestre em Israel e não compreende estas coisas? 11 Em verdade, em verdade lhe digo que nós falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos, mas vocês não aceitam o nosso testemunho. 12 Se vocês não creem quando falo sobre coisas terrenas, como crerão se eu lhes falar sobre as celestiais? 13 Ora, ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que de lá desceu, o Filho do Homem.

Jesus tem com ele um diálogo marcado pela ironia, quando aborda a pergunta feita por Nicodemos: 10 — Você é mestre em Israel e não compreende estas coisas?”.

Mas, logo em seguida, fala ao atônito fariseu, com misericórdia e clareza. O texto de João não conta como acabou a conversa, ele encerra a narrativa com as palavras de Jesus, na sequência da resposta:

14 — E assim como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15 para que todo o que nele crê tenha a vida eterna. 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18 Quem nele crê não é condenado; mas o que não crê já está condenado, porque não crê no nome do unigênito Filho de Deus. 19 A condenação é esta: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. 20 Pois todo aquele que pratica o mal detesta a luz e não se aproxima da luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. 21 Quem pratica a verdade se aproxima da luz, para que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.

Pouco se sabe de Nicodemos. Ele só aparece no Evangelho de João. Sabemos que estava presente no sepultamento de Jesus, e até arcou com alguns custos (João 20.39).

Tradições antigas relatam que Nicodemos se tornou cristão e fazia parte da Igreja primitiva, junto com outros fariseus – por exemplo, José de Arimatéia,  e também zelotes – por exemplo, Simão o zelote, um dos Doze.  Mas não sabemos como se deu sua conversão. Provavelmente, a partir dessa conversa com Jesus, Nicodemos passou a refletir sobre o que Jesus dizia e fazia… e assim converteu-se.

Assim como foi com Nicodemos, o encontro com Jesus nos leva à reflexão e a rever nossos paradigmas!

Rev. Luiz Caetano, ost+

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.