O Temor do Senhor

E agora, que o temor do SENHOR esteja com vocês. Tenham cuidado com o que vão fazer, porque o SENHOR, nosso Deus, não admite injustiça nem parcialidade, e também não aceita suborno.” (2º Crônicas 19.7)

Deus é justo! Sua Justiça é também misericórdia e graça. Por isso, Ele não admite nenhum tipo de parcialidade – discriminação de pessoas, opção por um determinado grupo dito especial, relações de amizade interesseira, etc. – e nem suborno: com Deus não se negocia, nem se dá qualquer jeitinho.

Temer a Deus não é ter medo de Deus, mas reconhecer a Sua Justiça e procurar agir de acordo com o critério dessa Justiça. Não por medo de castigo, mas pelo reconhecimento do Amor Divino e da Sua imensa misericórdia, de Sua disposição de conceder sempre a graça que necessitamos, e nos garantir a companhia de Seu Filho, o Senhor Jesus Cristo, em nossas vidas, em todos os momentos.

Temer a Deus é aceitar a Graça que nos é dada e viver em gratidão por essa Graça. “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”, diz São Paulo aos Tessalonicenses (1ª Tess 5.18).

Assim, viver em temor a Deus é praticar a justiça e a misericórdia como ato de gratidão, não para merecer algum prêmio, mas porque já se recebeu a graça da justiça e da misericórdia de Deus através de Jesus o Cristo, nosso Senhor e Redentor. Se você aceitou a Jesus Cristo como Senhor de sua vida, viver em temor a Deus é seguir com Jesus o caminho da Vida, pois – pela graça de Deus – você é libertado de tudo aquilo que amarra sua vida, o pecado e a solidão.

Diga agora em seu coração:

Louvarei a Deus no culto, juntamente com meus irmãos e irmãs na Fé, e também em privado, diante de Deus, o Deus que me amou primeiro em Jesus Cristo, meu Senhor e Redentor!

Rev. Luiz Caetano, ost+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.