ANDRÉ, O PESCADOR

André ApóstoloO pescador André tem nome grego, “Andréas”,  natural de Betsaida,  um povoado de pescadores junto ao Mar da Galileia, perto de Cafarnaum, onde ele viva, assim como seu irmão, Simão. Aliás, Betsaida significa “casa da pesca” em hebraico.

Junto com João, filho de Zebedeu, além de pescador, era discípulo do Batista, aquele que veio aplainar o cominho do Senhor. Tendo ouvido o testemunho do Batista sobre Jesus, passou a acompanhar Jesus, se tornando um dos seus primeiros discípulos.

O Evangelho de João nos conta que André foi buscar seu irmão Simão, testemunhando haver encontrado o Messias.  Simão acompanhou André, conheceu Jesus e recebeu o nome de Pedro.

André, o pescador, portanto, foi um dos dois primeiros discípulos de Jesus, o outro foi João.  O encontro de André com Jesus foi a partir do testemunho do Batista, e um diálogo com Jesus: Continue lendo ANDRÉ, O PESCADOR

DIMAS, O ZELOTE

 17 Rubens Christ on the Cross between the Two Thieves 1619-20 Oil on panel, 429 x 311 cm Koninklijk Museum voor Schone Kunsten, Antwerp The painting is also called as Pierced with a Lance. Rubens' close involvement with the resurgence of Catholicism and the struggle for power led to the production a numerous large altarpieces. His stirring baroque ideas come to the fore in The Lance, with its emotionally charged, highly plastic figures ....Web Gallery Of ArtErroneamente conhecido como “o bom ladrão”, por dificuldades de tradução e compreensão, Dimas e o outro companheiro de Jesus na crucificação não eram ladrões, mas criminosos políticos! A morte na cruz era a pena aplicada pelos Romanos contra quem atentava ou subvertia a ordem do Império.

Ele  era um Zelote, membro de um grupo extremista de nacionalistas judeus que lutavam contra a dominação romana na Judéia. A Igreja Latina deu-lhe o nome de Dimas; a Igreja Oriental chamou-o de Rakh.

O encontro de Dimas com Jesus acontece em um momento crítico, ambos em agonia na cruz. Crucificados, ambos estavam agonizando por asfixia, e o falar era doloroso, pois tinham de forçar o corpo, apoiar-se nos pés e erguer o tronco.  Foi um encontro de poucas e dolorosas palavras que resultou em um fato maravilhoso. Continue lendo DIMAS, O ZELOTE

NICODEMOS, O FARISEU

Nicodemos 1Lemos no Capítulo 3 do Evangelho de São João, a narrativa do encontro de um homem chamado Nicodemos com Jesus:

3.1 Havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. 2 Este, de noite, foi até Jesus e lhe disse: — “Rabi, sabemos que o senhor é Mestre vindo da parte de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que o senhor faz, se Deus não estiver com ele”.

Na postagem anterior, falamos do encontro de Zaqueu, o publicano, com Jesus. Hoje falaremos do encontro de outro homem, oposto a Zaqueu, um fariseu. Ao contrário de Zaqueu, Nicodemos era respeitado pelo povo e uma pessoa de alta posição na sociedade judaica. Por ser “um dos principais dos judeus” , isto é, membro do Sinédrio, o Grande Conselho Judaico, ele era respeitado até pelos Romanos que anexaram a Judeia ao seu Império. Continue lendo NICODEMOS, O FARISEU

Uma comunidade de fé cristã, na Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, em comunhão com a Sé de Cantuária; uma comunidade acolhedora, sem imposições moralistas, procurando vivenciar o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.