NICODEMOS, O FARISEU

Nicodemos 1Lemos no Capítulo 3 do Evangelho de São João, a narrativa do encontro de um homem chamado Nicodemos com Jesus:

3.1 Havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. 2 Este, de noite, foi até Jesus e lhe disse: — “Rabi, sabemos que o senhor é Mestre vindo da parte de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que o senhor faz, se Deus não estiver com ele”.

Na postagem anterior, falamos do encontro de Zaqueu, o publicano, com Jesus. Hoje falaremos do encontro de outro homem, oposto a Zaqueu, um fariseu. Ao contrário de Zaqueu, Nicodemos era respeitado pelo povo e uma pessoa de alta posição na sociedade judaica. Por ser “um dos principais dos judeus” , isto é, membro do Sinédrio, o Grande Conselho Judaico, ele era respeitado até pelos Romanos que anexaram a Judeia ao seu Império. Continue lendo NICODEMOS, O FARISEU

ZAQUEU, O PUBLICANO

ZaqueuPara desespero dos moralistas de plantão, não há, uma sequer, palavra de Jesus, nos Evangelhos, sobre a “imoralidade” sexual de seu tempo. Sabemos que Jesus viveu em uma sociedade que, embora em área judaica, era profundamente marcada pelo helenismo, cuja base ética não se importava com o hedonismo ou o erótico. Jesus também não! como veremos, sua preocupação é outra.

Vão citar, com toda certeza,  para me corrigir, a Samaritana (que tinha cinco maridos e mais um) ou a “mulher adúltera” (cujo adultério não foi demonstrado, como exigia a Lei). Ambas as referências são do texto de João, o qual, como sempre, é  mal entendido pelas pessoas “de fé”, porque gostam de lê-lo a partir dos próprios paradigmas para justificá-los e não a partir do tempo e do  contexto onde João foi escrito.

Mas não é esse o tema que vou abordar. Falei nisso só pra chatear os moralistas… que aliás, chateiam todo mundo!

Acontece que, também para desespero dos moralistas e, especialmente dos moralistas cujo referencial ético é o Capitalismo, há severas palavras de Jesus contra a exploração econômica de pessoas. Todavia, apesar se sua severidade, Jesus trata do assunto com profunda misericórdia e compreensão do coração humano, ao contrário dos moralistas de plantão de seu tempo e de todos os tempos.

A narrativa (Lucas 19.1-10) do encontro de Zaqueu, o publicano, com Jesus, o Cristo, é muito significativa, pois tem implicações essenciais para a compreensão da Boa Nova a partir do contexto da Igreja Primitiva, onde o Evangelho de Lucas foi gerado, Continue lendo ZAQUEU, O PUBLICANO

Cada macaco no seu galho; é isso?

Cada Macaco no seu galhoPara muita gente cristã, a vivência na fé é exatamente isso: cada macaco no seu galho…  Essas pessoas passam o tempo todo buscando resolver suas culpas imaginárias a partir de uma lei moral determinada por um deus cruel e imaturo, cuja única razão de ser é testar seus seguidores diante de um “inimigo”, cuja finalidade é levar os referidos crentes a desobedecer o deus..

Para tais pessoas cristãs, o “mundo” é o lugar do inimigo; então o negócio é fugir do mundo, esconder-se na aldeia da igreja e evitar se contaminar: selecionam suas relações separando as pessoas entre “crentes” e “mundanos”, sem conviver com pessoas diferentes pois são todas pecadoras e podem contaminar.

Solidariedade é sempre (e não a partir de) com os “domésticos da fé”, ou seja, seus iguais. Há até os que não são solidários nem a  estes, pois se estão necessitados é porque não aceitam o que  seu deus lhes provê, ou estão em alguma desobediência secreta… e o deus os está provando. Continue lendo Cada macaco no seu galho; é isso?

Uma comunidade de fé cristã, na Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, em comunhão com a Sé de Cantuária; uma comunidade acolhedora, sem imposições moralistas, procurando vivenciar o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.