Artimanhas do Inimigo

Desta vez, apresento um texto extenso, mas creio ser importante para todas as pessoas cristãs.

Satanás é um sujeito muito esperto, que se sente todo poderoso (ou, na verdade, pretendia ser!) cuja tarefa é tentar para depois acusar. Claro que esse sujeito age com a permissão de Deus. O Livro de Jó nos mostra isso, de forma bem clara! A grande arma de Satanás é explorar facilmente os pontos fracos de alguém para atacar esses flancos. É um bom estrategista.

A narrativa da Queda nos mostra a maneira sutil de sua forma de agir: tenta o ser humano com o Poder (ser igual a Deus), aliás, motivo que provocou sua própria expulsão da Corte Celeste. Tendo sido seduzido pelo poder, ele tenta seduzir com a sugestão do pode (cf. Genesis 3.1-6 e a sequência).

Um dos nomes que o identifica é Lúcifer, algo como “Iluminado”, “Grande Luz”! Mas trata-se de uma luz que não ilumina, antes, ela cega! Ao invés de iluminar caminhos, ela cega e não permite que se veja por onde se caminha, e assim acaba-se no abismo da dor e do sofrimento. O Pai da Mentira age de forma sutil, não tão explicitamente como na narrativa da Queda, escrita exatamente de forma simples para que possa ser compreendido como uma advertência e um aviso de cuidado. Continue lendo Artimanhas do Inimigo

Jesus em meu lugar!

Quando da minha conversão e descoberta do Protestantismo, um livro me impressionou muito e – devo admitir – marcou profundamente minha espiritualidade. Hoje o estou relendo com um crivo crítico apurado, adquirido após 49 anos de vivencia cristã.  O livro trata da resposta a uma única pergunta, que aliás é o seu título: “Em teus passos, o que faria Jesus?”, de Charles M. Sheldon, em nova edição.

Naturalmente, Sheldon era moralista e fundamentalista; o livro tem essa carga toda. Mas não deixa de ser impressionante o que lá é contado e a reflexão que sugere: a pergunta é absolutamente relevante e perturba qualquer cristão que vive sua fé de forma madura e a quer consequente.

Continue lendo Jesus em meu lugar!

Os donos da verdade e a Verdade

Todos nós conhecemos pessoas que se acham “donas da verdade”. Elas estão por ai: na escola, no ambiente de trabalho, aparecem aos montes pela mídia, e – o que é pior – até na Igreja tem gente assim!
São aquelas pessoas para as quais quem pensa diferente delas, está errado. Só elas estão certas, só suas ideias são as corretas, só sua maneira de agir é que serve. Isso fica pior quando se trata de “religião”.
Todavia, a experiência religiosa é algo muito pessoal, algo muito íntimo. Imagine que eu te dê algo para comer, e te diga: “tem gosto de laranja”. Se você conhece o gosto da laranja, tudo bem, vai entender e até já imagina o sabor. Mas tente explicar para alguém que nunca viu ou provou uma laranja qual é o gosto da laranja. Continue lendo Os donos da verdade e a Verdade

Uma comunidade de fé cristã, na Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, em comunhão com a Sé de Cantuária; uma comunidade acolhedora, sem imposições moralistas, procurando vivenciar o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.