Profeta: ontem e hoje

Profeta Jeremias 1Está escrito no Livro do Profeta Jeremias:

1.4 A palavra do SENHOR veio a mim, dizendo: 5 “Antes de formá-lo no ventre materno, eu já o conhecia; e, antes de você nascer, eu o consagrei e constituí profeta às nações.”  6 Então eu disse: — Ah! SENHOR Deus! Eis que não sei falar, porque não passo de uma criança. 7 Mas o SENHOR me disse: “Não diga: ‘Não passo de uma criança.’ Porque a todos a quem eu o enviar, você irá; e tudo o que eu lhe ordenar, você falará. 8 Não tenha medo de ninguém, porque eu estou com você para livrá-lo”, diz o SENHOR.9 Depois, o SENHOR estendeu a mão e tocou na minha boca. E o SENHOR me disse: “Eis que ponho as minhas palavras na sua boca. 10 Veja! Hoje eu o constituo sobre as nações e sobre os reinos, para arrancar e derrubar, para destruir e arruinar, e também para edificar e plantar.” (Jer 1.4-10).

O texto narra o momento do chamado (vocação) de Jeremias, para ser profeta do Deus Altíssimo. A bela narrativa informa que Jeremias já estava escolhido antes de nascer.  E, apesar da resistência de Jeremias em atender ao chamado, Deus insiste em tom imperativo: “você irá”, “você falará”! Ao mesmo tempo, diz para o profeta não ter medo, pois Deus se compromete a estar com Jeremias para livra-lo em qualquer situação de risco.

Mas afinal, o que é ser profeta? que vocação é esta que envolve uma ação direta de Deus na vida de uma pessoa?

O senso comum diz que o profeta é alguém que advinha o futuro! Isso é uma grande besteira!!! Não interessa, neste artigo, discutir porque se chegou a tal senso comum; importa antes compreender o que é ser profeta e o que é profecia.

Etimologicamente profeta significa aquela pessoa é enviada para falar em nome de Deus, revelando o que Deus tem a dizer para determinado grupo em determinado momento. Profetas são pessoas com o discernimento daquilo que Deus quer e fará diante de uma conjuntura em determinado momento, lugar e um grupo específico. A profecia tem conteúdo, tempo e destinatários específicos e bem definidos.

No Antigo Testamento

No Antigo Testamento, os profetas atuam como críticos sociais, denunciando os desvios de Israel e Judá em relação à aliança feita com Deus: a exploração do povo, a idolatria, a permissividade nas relações entre as elites com os Impérios vizinhos; tudo isso leva à violação da aliança com Deus, e portanto a uma ruptura com o próprio Deus.  Geralmente, os profetas e profetizas bíblicos estão em choque com as elites dominantes em Israel e Judá. E, claro, tal postura não é nada confortável. Há riscos, e sérios riscos em relação à integridade física e moral de quem profetiza.

As palavras de um profeta bíblico se dirige sempre aos reis e/ou aos sacerdotes, ou seja, ao palácio e ao templo! àquelas pessoas que, perante Deus são responsáveis para conduzir e cuidar do Seu povo. Fazem a denúncia, e, ao mesmo tempo, anunciam a ação de Deus diante da realidade denunciada. E dão testemunho dessa palavra e dessa ação através de suas atitudes.

Ao fazer a denúncia, os profetas informam da “indignação de Deus”, de “Sua ira” pela ruptura da aliança. Mas também anunciam que, apesar da consequência triste, Deus proverá a redenção e o reatamento da Aliança. Infelizmente, o sadismo de muitos pregadores de hoje só fala dos castigos, e esquece a ação misericordiosa de Deus. De fato para quem vê pecado em tudo, é muito satisfatório ver o castigo de quem não pensa como pensam.

A percepção cristã

A Igreja Cristã, desde seus primórdios, tem, nas palavras dos profetas do Antigo Testamento (exatamente pela ação redentora sempre anunciada), o vislumbre de Cristo! Assim aquelas profecias, antes referidas a uma determinada situação do passado, iluminam também o presente. A profecia, antes restrita a um povo, se torna, então, Palavra de Deus para toda a humanidade, em todos os tempos e lugares.

Sempre houveram profetas e profetizas. Hoje estão por aí, sempre denunciando, anunciando e também testemunhando. Preste atenção ao seu redor!

Deus continua chamando profetas

Deus não está ausente de nossa realidade, como não estava em Israel e Judá. Ele continua atuando, e chamando pessoas para serem profetas e neste tempo, como fez em todos os tempos. Lendo os profetas do Antigo Testamento, temos as pistas para reconhecer os profetas e profetizas de hoje.

Todavia, é muito mais cômodo interpretar as profecias antigas para justificar as atitudes de repressão e controle da religião institucional e formal – sempre aliada das elites dominantes – impondo comportamentos e pensamentos padronizados, enquadrando todas as pessoas em um modelo definido como único e absoluto, condenando qualquer desvio. A profecia, Palavra Viva, se torna palavra morta e mercadoria de consumo para manter as consciências anestesiadas, preocupadas com o próprio umbigo, sem perceber que o diabólico está controlando o mundo, inclusive elas mesmas.

Pense nisso! Deus continua chamando pessoas para serem profetas. Talvez você seja uma dessas pessoas…

Rev. Luiz Caetano, ost+
Nota: o texto bíblico citado é da versão Nova Almeida Atualizada, Sociedade Bíblica do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.