Confirmação

Nos primeiros tempos da Igreja a Confirmação não era distinta do Batismo. Com início da prática do batismo de crianças, foi necessário a existência de outro ato sacramental que marcasse o compromisso pessoal, público e definitivo com Jesus Cristo e sua Igreja. As promessas da Confirmação são muito semelhantes as do Batismo.

Para muitos, a Confirmação é o sacramento da maturidade cristã, ou ainda para alguns, uma espécie de “ordenação ao laicato pleno” da Igreja. Isto significa que a Confirmação deve ocorrer quando uma pessoa quer real e conscientemente , de vontade livre e espontânea, assumir o compromisso da vida cristã em uma paróquia ou missão da Igreja. É um sacramento único e permanente, pois só acontece uma vez na vida.

O sinal externo neste sacramento é a imposição das mãos, pelo Bispo, sobre a cabeça do(a) confirmando(a), ungindo-o(a) com um óleo apropriado, chamado de crisma.

O sinal interno da Confirmação é o dom do Espírito Santo, graça inestimável  de Deus que nos habilita, ampara e sustenta numa vida de discipulado e compromisso com o Reino.

Pastoralmente, apontamos algumas considerações básicas: não há idade mínima ou máxima, o critério é o discernimento; o requisito básico é a pessoa ser batizada; deve haver instrução prévia das pessoas candidatas à Confirmação; é recomendável que a pessoa seja comungante e que tenha algum tipo de envolvimento na comunidade.

O Livro de Oração Comum traz as orientações necessárias e o texto do rito da Confirmação.

Uma comunidade de fé cristã, na Diocese Anglicana do Rio de Janeiro, em comunhão com a Sé de Cantuária; uma comunidade acolhedora, sem imposições moralistas, procurando vivenciar o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.