Arquivo da tag: Ética Social

A CORAGEM DE SER

Jesus Amigo 2Na última semana, a mídia se alvoroçou com a revelação da sexualidade do ginasta Diego Hypólito, medalhista olímpico e figura pública do cenário esportivo brasileiro há mais de uma década. De uma hora para a outra, como sói fazer, a imprensa se meteu a fazer análises e replicar a notícia com o intuito de ganhar mais visualizações (o que, na atual conjuntura, é o que dita o sucesso dos jornais e portais de informação). Foi aí que, acidentalmente, o assunto veio à minha atenção, pois algumas pessoas compartilharam a notícia e comentavam coisas do tipo “isso, a gente já sabia”.

Ao ler a notícia, entretanto, ficava bem claro que não se tratava de mais um relato condescendente de alguém que queria visualizações e chamadas na mídia. Era uma história de alguém que passou boa parte de sua vida adulta escondendo de sua família algo que, obviamente, era auto evidente.

Ou seja, o relato fala de um grande e vitorioso atleta, no auge de sua carreira e com toda a visibilidade que seu mérito profissional trouxe, que não conseguia partilhar das coisas mais simples da vida com as pessoas mais próximas de si. Continue lendo A CORAGEM DE SER

Sexta-feira da Paixão

crucificado indígenaHoje, Sexta-feira da Paixão, a Igreja celebra os eventos da Paixão e Morte de Jesus, mas no domingo, celebra Sua ressurreição.  Todo ano fazemos isso. Uma semana inteira para recordar os eventos que levaram Jesus, o Nazareno, a ser preso, julgado, torturado e morto pelas elites de sua sociedade e pelo Império de Roma.

Hoje, Sexta-feira da Paixão, é 19 de abril, Dia dos Povos Indígenas! A sociedade  brasileira deveria dedicar parte deste dia para refletir sobre os povos que viviam no território hoje chamado Brasil e, por extensão,  América, antes de ser invadido e ocupado pelos europeus. Continue lendo Sexta-feira da Paixão

Realidade Virtual e Vida Real

Solidariedade moderna 2Um exemplo de “realidade virtual”: quando brincamos com videogames, vislumbramos na tela uma paisagem, muitas vezes bonita e agradável de se olhar; figuras humanas ou seres mitológicos comportam-se como se estivessem vivos.

Há programas de computador que permitem passear pelas ruas de Salvador, Paris ou Nova York, sentados em nossas poltronas, com detalhes impressionantes. Existem “óculos eletrônicos” que dão a sensação de estarmos realmente andando nas ruas das cidades, interagindo com os personagens de jogos. Existem sensores eletrônicos que, espalhados pelo corpo, permitem que tenhamos sensações de toque, frio, calor, interagindo com um personagem que pode ser “uma pessoa real” ou um ser fantástico, criado pelo programa que estamos usando. Continue lendo Realidade Virtual e Vida Real