Arquivo da tag: Quaresma

Sexta-feira da Paixão

crucificado indígenaHoje, Sexta-feira da Paixão, a Igreja celebra os eventos da Paixão e Morte de Jesus, mas no domingo, celebra Sua ressurreição.  Todo ano fazemos isso. Uma semana inteira para recordar os eventos que levaram Jesus, o Nazareno, a ser preso, julgado, torturado e morto pelas elites de sua sociedade e pelo Império de Roma.

Hoje, Sexta-feira da Paixão, é 19 de abril, Dia dos Povos Indígenas! A sociedade  brasileira deveria dedicar parte deste dia para refletir sobre os povos que viviam no território hoje chamado Brasil e, por extensão,  América, antes de ser invadido e ocupado pelos europeus. Continue lendo Sexta-feira da Paixão

Quaresma: a caminho da Ressurreição!

Joel 2Desde criança aprendemos que a Quaresma é um tempo de penitência, jejuns, abstinências… ainda hoje se ensina assim. No comportamento religioso, é assim mesmo!

Mas não deve ser assim para quem vive a experiência da Fé em Jesus Cristo. Afinal, nós cremos que, em Jesus Cristo, os nossos pecados são perdoados, e não estamos mais sob o império da Lei:

“[…] o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Jesus Cristo, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois por obras da lei ninguém será justificado.”  (Gálatas 2.16) Continue lendo Quaresma: a caminho da Ressurreição!

O SACRIFÍCIO PERFEITO E ÚNICO, COMPLETO E SUFICIENTE

Quando recebemos o Santo Batismo,  somos “mergulhados na Morte e Ressurreição do Senhor Jesus Cristo”! Isso significa que somos inseridos na Salvação dada por Cristo e nos tronamos novas pessoas, nos tornamos parte da comunidade da Igreja (que é mais que uma simples instituição), cidadania do Reino de Deus!

Mas, ao mesmo tempo, recebemos a tarefa de testemunhar este mesmo Senhor Jesus Cristo, morto, sepultado e ressuscitado, Luz do Mundo, Pão da Vida! Redentor da humanidade! Salvador!

O sentido de “autossuficiência humana” não leva as pessoas à felicidade, nem à vida em plenitude. Afastados de Deus pelo pecado, cuja origem é exatamente a autossuficiência em extremo – o querer ser igual a Deus – não somos capazes de retornar à plenitude da vida por nós mesmos. Nos descobrimos nus, como diz a narrativa da queda do ser humano em Gênesis 3, isto é, nos deparamos com a verdade de nossa impotência diante da realidade da vida, de nossa fraqueza em conduzir-nos por caminhos de alegria e vida em plenitude.  Nossa impotência diante da morte. Continue lendo O SACRIFÍCIO PERFEITO E ÚNICO, COMPLETO E SUFICIENTE