Sobre Missão

O tema da Missão é recorrente na Igreja, porque é exatamente a Missão que dá sentido ao ser da Igreja. A Igreja existe para a Missão.

Entretanto, o conceito de Missão é muitas vezes reduzido ao simples “trazer novos membros”, ou seja, o objetivo da Missão é o crescimento da Igreja enquanto instituição. Assim, associado ao conceito de Missão surge o “marketing” religioso. A busca de novos membros se torna o centro da ação da Igreja, e assim, de certa forma, a fé, a bênção e a vivência religiosa se transformam em produtos de fácil consumo. Perde-se a perspectiva da vivência comunitária, da conversão, da Graça Redentora.

Penso que é momento da Igreja recuperar o significado real de Missão, a tarefa que nos foi delegada pelo Senhor Jesus através de seus discípulos desde o princípio. Ao enviar seus discípulos, Jesus não os mandou criar instituições, nem arregimentar pessoas a qualquer custo. Pelo contrário, mandou que “Indo, pregassem o Evangelho, batizando aqueles que crerem, tornando-os discípulos, ensinando-os a guardar todas as coisas que ele ordenou” (cf. Mateus 28:19-20; Marcos 16:15-18; Lucas 24:44-49).

Em algumas famílias confessionais, o conceito de Missão está associado à pregação e anúncio, ao ensino, ao serviço amoroso, ao testemunho profético. Fala-se em Missão Integral, querendo significar que o agir missionário da Igreja é amplo e diverso, marcando presença no mundo em testemunho à ação salvífica de Deus em Jesus Cristo.

O ponto de vista episcopal anglicano

A Comunhão Anglicana, compreende o que é Missão através de cinco pontos fundamentais, que devem ser desenvolvidos simultaneamente:

1. Proclamar as boas novas do Reino de Deus: a pregação da Palavra, o testemunho do amor salvador e reconciliador de Cristo para todas as pessoas.

2. Batizar, ensinar, nutrir e apoiar os novos cristãos: a incorporação dos novos cristãos à Comunidade de Fé (Igreja), sua formação e capacitação, seu fortalecimento na fé, na esperança e no amor.

3. Responder às necessidades do próximo com o serviço amoroso e desinteressado: a ação diaconal, a solidariedade com os que sofrem, com os excluídos, atitude de compromisso com os mais pobres e necessitados sem exigir ou esperar que eles necessariamente se incorporem à Igreja.

4. Buscar a transformação das estruturas injustas da sociedade: o testemunho profético, denunciar a injustiça e a opressão, denunciar a discriminação e a violência, promover a Justiça e a Paz para todos, inclusive para os não cristãos.

5. Proteger a integridade da Criação: proteger, cuidar e renovar a vida na Terra, como mordomos e colaboradores no cuidado com a Natureza e todas as criaturas criadas por Deus.

Finalmente, a Igreja precisa ter claro que, em Jesus Cristo, Deus está em Missão. Deus, em Cristo, pelo poder do Espírito Santo, está em Missão e nós somos chamados a sermos missionários e missionárias com Ele através de nossa vivência, nossa inteligência e nossa capacidade em servir.

Que Deus abençoe ricamente a todos e todas que se lançam conscientes na tarefa Missionária como cooperadores e cooperadoras de Deus.

Rev. Luiz Caetano, ost+

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.